25 de out de 2014

De onde viemos? Para onde vamos? Aberto o espaço para um senso do mountainboard brasileiro! E você? vai enviar sua opinião? Ou ficar só reclamando!

Thiago Solon - para quem o conhece, sobram comentários! Foto: Fernando Gazzola
De onde viemos? Para onde vamos?

Ontem, 24 de outubro de 2014, fez um ano que vim para os Estados Unidos em busca de mais oportunidades para desenvolver-me como atleta, blogueiro e empresário no segmento do mountainboard. Essa foi uma das decisões mais sérias da minha vida, abrir mão de tudo aí no Brasil e começar do zero por aqui. E ainda, manter em pé e ascendente todo o trabalho feito no Brasil por mais de 10 anos. Ainda mais na Florida, uma região sem montanhas. Mas isso é uma outra história.
Fábrica e oficina do Paulo Solon, Local Trip uma das únicas marcas precursoras e 100% nacional. Foto Fábio Carvalho
O que pretendo abordar agora é que meu distanciamento do cenário brasileiro do mountainboard, depois de uma década de atuação, me abriu uma perspectiva mais de fora do meio.
Lucas Melo no High Jump, prova diferenciada do evento paralelo ao Circuito, o Funny Session 2. Foto Fábio Carvalho
Os últimos acontecimentos: datas conflitantes entre o principal evento mundial e o principal evento brasileiro, diminuição na quantidade de competidores PRO, Masters e Amadores no Circuito Brasileiro, mas ao mesmo tempo aumento no nível técinco, e por fim a criação de eventos paralelos com modalidades alternativas e sua grande aceitação por parte dos atletas e público, me levaram a buscar a opinião dos atletas, empresários e organizadores de eventos para traçar um cenário do nosso esporte! Foram mais de 30 depoimentos até agora. Esse conteúdo irá proporcionar um trabalho que irei transmitir aqui nessa página, nessa e nas próximas edições.
Thiago Solon no quintal de casa, Cork 540 sua exclusividade ainda no Brasil. Foto Fernando Gazzola
Vamos abrir essa série com a colaboração do #1 Thiago Solon, o nosso Pedro Barros ou Gabriel Medina do mountainboard brasileiro, dadas as suas proporções pela falta de incentivo e investimento, um atleta que nasceu com o mountainboard e segue em busca de uma chance de despontar em um evento internacional. Para terem uma idéia, o Thiago é invencível no freestyle desde 2010, já foi inúmeras vezes campeão brasileiro em várias modalidades, e agora, deixou o circuito brasileiro e hoje só acompanha as etapas, é instrutor na sua pista e participa de apresentações. Segue abaixo um pouco da história dele que se mistura com a história do mountainboard nacional em todas as suas épocas!

- Conheci o Mountainboard em meados de 1996, Eu com apenas 4 anos, no ano seguinte comecei a praticar. Até onde eu sei o esporte foi criado no ano de 1992 (ano em que nasci) pelos havaianos e californianos, vivenciei boa parte da história do esporte, principalmente no Brasil, ainda não tive a oportunidade de conhecer o mountainboard em outros países, mas espero fazer isso em breve.
  - O começo do Mountainboard no Brasil foi muito parecido com o do Surf, alguns praticantes pelo país, quase todo mundo se conhecia e eram todos amigos, se reuniam para andar junto quando possível, no caso do mountainboard, muitos tinham o propósito de suprir a carência de algum outro esporte, e outros, de ter uma nova experiência, que misturasse vários esportes radicais. Acredito que meu pai, o Paulo Solon, tenha sido o pioneiro no Brasil, um surfista que se mudou pra montanha e na dificuldade de poder surfar todos os dias encomendou um mountainboard, do Colorado/EUA, que veio através do meu tio. Na época a novidade era tanta que todos os amigos do meu pai se revezavam pra andar naquele único equipamento, depois ele começou a fabricar e montou uma equipe com os próprios amigos e uma pista no quintal de casa, e na sequência começou a produzir para vender. A origem do esporte no Brasil foi aqui, em Visconde de Mauá/RJ, do primeiro modelo à equipe e até mesmo a primeira marca.
- Em 2002 conheci o gaúcho Sérgio "Marreta", que teve uma participação fundamental na evolução do esporte, foi o primeiro a realizar um evento no Brasil, ele criou o Desafio Brasil de Skate Off Road, no Rio Grande do Sul, apenas com os locais, e em 2003 ele fez o primeiro evento nacional, aqui em Mauá, isso foi um gancho para que fosse criado o Circuito Brasileiro de Mountainboard, que é válido até hoje. Com o passar dos anos o Circuito Brasileiro foi ganhando novas casas, no começo era apenas uma etapa por ano, hoje o circuito tem 5 ou 6 etapas por todo o país, mais os eventos fora do Circuito, hoje o Brasil é o país com maior número de eventos.
- Sérgio além de organizador de eventos, é fabricante de mountainboard e revolucionou quando produziu um eixo diferente, enquanto todos no Brasil fabricavam eixos de molas, ele adaptou os de skate ao mountainboard, o equipamento ficou bem mais leve, passei a usar os eixos do Marreta, isso influenciou demais no meu desempenho, meu equipamento passou de 10 Kg para 5 Kg, e como eu tinha apenas 11 anos, foi uma mudança incrível.
- O Mountainboard ainda não é tão grande no sentido profissional como o skate, surf, entre outros, no mundo inteiro é raro um atleta viver somente disso, a maioria tem algum trabalho para se manter e pratica o mountainboard como esporte, paixão e hobby. Penso que em pouco tempo o nosso esporte terá mais reconhecimento e apoio de grandes marcas, -“chega a ser um desperdício tanta qualidade em nível técnico pra tão pouco apoio e incentivo”. Deixo até um apelo aqui pra todas as empresas nacionais, multinacionais, até mesmo as pequenas
–“o mountainboard é um esporte de vanguarda e gera mídia, só falta acreditarem um pouco mais no esporte, porque nós podemos dar retorno”.
Agradeço pelo espaço na Revista Solto. Um Abraço a todos os Leitores!
Thiago Solon – Local Trip – Visconde de Mauá/RJ

Bom como havia dito, esse foi para abrir o senso, na próxima edição tem mais! 
Adrianu Sequinho é o único gaúcho assíduo no Brasileiro 2014 e desponta na AM. Foto Gabriel Alho
Aterrisando Thiago Solon/RJ, no ar, Lucas Melo/RJ, um de seus sucessores na PRO. Foto: Daniel Souza
Aberto o espaço para um senso do mountainboard brasileiro! E você? vai enviar sua opinião? Ou ficar só reclamando!

10 de out de 2014

OPEN SERIES movimenta São Bernardo do Campo no mês de Outubro!


Por Carlos A. Sabino (Limpa Trilho/Beto Radical):


PREZADOS PARCEIROS

O mês de outubro se tornou para nós, no parque da Juventude em Sao Bernardo do Campo, em um verdadeiro canteiro de obras da diversão, mês da criança e eventos, estamos levando a sério e vem surtindo retorno ao longo do tempo, estamos com todos os dias de parque lotado com muita diversão, então vou repassar a AGENDA, dos eventos.

Dia 12, dia das criancas, o parque vai lotar, manteremos as atividades de SlackLine, 10 slacks com operadores, somente para as crianças conhecerem o esporte.
Jereme Leafe/EUA competindo na Servia, presença confirmada no Open Series. Foto Arquivo pessoal
Dia 18 teremos o BRASIL OPEN, Brasileiro de MOUNTAINBOARD, que ocorrerá no sabado devido a presenca de atletas de outros estados, no dia 19 será dia livre para voltar para seus lugares, porém será um dia ativo pois estamos tendo confirmação de presenca de riders da MBS, aqui no brasil, o norte americano Jereme Leafe, e o europeu Flavio Vila Major, estamos apontando para um grande evento, pois além desses atletas, os nossos melhores do brasil já confirmaram presença.
Flavio Vila Major/ESP treinando em Vinhedo/SP, já está no Brasil para o Open Series

DIA 26, dia do segundo turno para dar continuidade as atividades de fomentação do SLACKLINE, o dia inteiro.

DIA 02 de Novembro (domingo), encerramento da maratona de eventos pontuais com o BRASIL OPEN de Slackline, com a presença dos melhores slackers do Brasil. Em sua 2ª edição, vem esse ano mais forte com mais infra da parte da prefeitura.

O evento é fomentador (5º Brasil de Mountainboard e 2º Brasil de Slackline), ano que vem os eventos OPEN SERIES BRASIL, tomarão outras proporções onde contaremos e prestigiaremos nossas parcerias iniciais que com pouco viabilizarão a incubadora do evento em questão. ESTÁ FUNDADA A ORGANIZAÇÃO OPEN SERIES BRASIL, trabalharemos esportes radicais SHOWS de ponta, a partir do que veremos nos próximos dias que se sucedem ao longo de outubro e início de novembro de 2014.

Seremos acompanhado por todo MÊS pela tv a cabo GNT e TV Berno, nos dias dos eventos teremos a presença e cobertura da correspondente do canal OFF.

Qualquer coisa podem ligar pra mim (11) 97972-5663


Carlos A. Sabino (Limpa Trilho/Beto Radical)